Trabalhadores saem de mutirão com entrevista de emprego agendada

Ação do Sindicato dos Comerciários de SP vai até sexta, com preferência para quem já pegou senha

as centenas de trabalhadores que madrugaram na fila da quarta edição do Mutirão do Emprego realizado na terça-feira (17/9), no Sindicato dos Comerciários de São Paulo, muitos voltaram para casa já encaminhados para uma vaga de trabalho.

De acordo com recrutadores das empresas presentes, cumprir essa etapa representa cerca de 80% de chances de o candidato conseguir, de fato, o emprego.

Quem concluiu essa fase passou por triagem, com avaliação do currículo pelos selecionadores e aptidões específicas para a vaga. Diferenciais como conhecimento em informática contribuíram no processo de seleção.

É o caso da cuidadora de idosos Aleide Pereira da Silva, 32 anos. Há dez meses desempregada, ela conseguiu ser encaminhada para uma vaga de operadora de caixa de supermercado. “Agora, só falta fazer a entrevista direto na loja. Os entrevistadores gostaram que tenho noções básicas de informática e disseram que ajudou”, diz.

A habilidade ‘extra’ não foi o único ponto positivo para Aleide. Ela diz que foi direcionada para uma unidade do supermercado que fica em seu bairro, na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. “Vai facilitar, e muito, o transporte”, comemora.

A estudante Mariana Tomaz Aguiar, 20 anos, chegou às 5h30 na fila do mutirão. Ela também foi encaminhada para uma vaga em seu bairro, o que, segundo ela, ajudará na locomoção entre trabalho e faculdade.

“Como moro e estudo em Itaquera, escolheram uma unidade no mesmo bairro, o que vai ser ótimo não só pelo percurso todos os dias da minha casa até o serviço, mas também porque vou poder colocar o relógio para despertar um pouco mais tarde”, diz.

Mariana foi selecionada para uma posição como operadora de caixa. A experiência na área foi decisiva, considera. “Já tinha trabalhado como operadora de caixa por um ano e sete meses, o que, sem dúvidas, ajudou na minha seleção. Agora é lutar e correr atrás, plantar para poder colher”.

Francine Herculino de Souza, 37 anos, conta que chegou a ficar um ano e nove meses sem trabalhar. Ela, que também disputava uma vaga para operadora de caixa de supermercado, diz que ficou sabendo do mutirão por meio de familiares.

“Me falaram e decidi participar. O resultado foi melhor do que o esperado, porque eu pensava que não conseguiria nada aqui hoje”, diz.

José Roberto Domingos, 50 anos, conseguiu encaminhamento para uma vaga como auxiliar de laticínios. Desempregado desde maio de 2018, ele ajudava nas contas de casa como ambulante, vendendo água na rua. “Tirando o tempo em que trabalhei como autônomo, tenho 20 anos de carteira assinada. Quero trabalhar mais para, se Deus quiser, conseguir me aposentar”, explica.

Mutirão continua

Segundo o Sindicato dos Comerciários, cerca de 6.000 pessoas passaram pelo mutirão na terça-feira. Foram distribuídas senhas para 4 mil trabalhadores e ainda há remanescentes. Quem não passou pelo recrutamento na terça, mas tiver senha, poderá voltar nos dias seguintes. Serão atendidos 1.500 candidatos nesta quarta (18).

Para se candidatar às vagas, os trabalhadores devem estar com documentos pessoais como CPF e RG, além do currículo e da carteira de trabalho.

Há oportunidades para cozinheiro, açougueiro, jardineiro, copeiro, vendedor, operador de loja, conferente, caixa, repositor, ajudante-geral, padeiro e confeiteiro, entre outras.

As ofertas de vagas são oferecidas por 44 empresas, entre elas, redes como Magazine Luiza, Pão de Açúcar, Carrefour, Marisa, Riachuelo, além da Pirelli.

Fonte: Jornal Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *